Emagrecer: Bactéria que emagrece

Emagrecer: Bactéria que emagrece

0 Flares 0 Flares ×

Estudo conclui de forma segura que certos tipos de micróbios são hereditários e alguns podem até ajudar a emagrecer!

Já se perguntou porque é que há pessoas que engordam com tanta facilidade e outras facilmente permanecem sempre magras?

Há investigações científicas que mostram que as mães passam as bactérias da sua flora intestinal aos filhos através do leite materno. Mas a extensão desta relação continua a surpreender os cientistas. Agora, se descobriu que a genética humana tem um papel na variedade dos microorganismos da flora intestinal, segundo um artigo publicado no passado mês de Novembro na revista Cell.

Uma das bactérias que depende desta hereditariedade está associada a pessoas com menos peso e que ajuda a emagrecer. Segundo uma experiência feita por cientistas dos EUA e Reino Unido, quando se adiciona esta espécie de bactéria, a Christensenella minuta, à flora intestinal dos ratinhos de laboratório, estes emagrecem. O estudo pode ajudar a desenvolver, no futuro, tratamentos probióticos, à base de bactérias, contra a obesidade.

emagrecer

O estudo não só abre uma nova frente de investigação para o controle da obesidade e ajuda para emagrecer, como traz pistas de como a genética atua para tornar alguns indivíduos mais predispostos ao sobrepeso do que outros. Isso porque o estudo contou com a participação de 416 pares de gêmeos, sendo 171 idênticos e 245 fraternos. Ao analisar o material fecal desse grupo de voluntários, os especialistas notaram que a quantidade de bactérias Christensenella era muito mais semelhante entre os gêmeos idênticos — que compartilham 100% do material genético — do que entre os fraternos — que têm apenas 50% do DNA igual.

Ou seja, fatores hereditários parecem favorecer a presença do micro-organismos que ajudam a emagrecer. “Nossa pesquisa mostra que a composição da microbiota intestinal é influenciada parcialmente pela genética humana. Isso significa que existem genes que possuem algum efeito sobre a abundância de tipos específicos de micróbios no intestino”, afirma Ruth Ley, primeira autora do artigo e pesquisadora do Laboratório de Microbiologia da Universidade de Cornell. “Esse é o primeiro estudo a estabelecer firmemente que certos tipos de micróbios do intestino são hereditários, e que sua variação em uma população é, em parte, devido ao genótipo, e não apenas às influências ambientais”, completa.

Agora se entende porque é que há pessoas que comem de tudo e continuam naturalmente magras, é muita Christensenella minuta!!!

Fonte: sites.uai.com.br; publico.pt; cell.com. Imagem de destaque: bbc.com

Bye, bye

Delicadelas, porque há segredos que se contam!

2
0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Email 0 0 Flares ×
kakum

É uma mulher como qualquer outra, simples, criativa, que adora moda e decoração e tem uma preocupação especial com a saúde e beleza. Quer ter um espaço para puder partilhar vários assuntos relacionados com esses temas e poder trocar experiências com as suas leitoras.

Comentar